Trabalho e Renda

O desemprego e o trabalho informal, aquele sem carteira assinada, são realidades que, se somadas, atingem milhões de brasileiras e brasileiros.  

O cenário foi impulsionado pela chegada da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. Para um país que vem sofrendo constantes quedas econômicas e consequentes violações de direitos, em especial, os trabalhistas, além do agravamento das crises sociais e econômicas, pensar em estratégias que mudem este cenário é fundamental.  

Neste sentido, a campanha ‘Por um Brasil Cooperativo e Solidário: mais trabalho e renda’, realizada em julho de 2020, teve o objetivo de promover o cooperativismo e a economia solidária enquanto estratégias para a retomada da geração de trabalho e renda no país. A campanha fez parte das atividades desenvolvidas pelo projeto ‘Fortalecimento da Rede Unicopas’, co-financiado pela União Europeia.  

Conheça nossas experiências do cooperativismo solidário para a geração de trabalho e renda.  

Por um Brasil Cooperativo e Solidário

Nosso folder mostra como o cooperativismo e a economia solidária podem ser estratégias para gerar trabalho e renda

Cooperativismo e economia solidária para o crescimento do Brasil

Segundo a Agenda Institucional do Cooperativismo 2019, mais de 14,2 milhões pessoas estão associadas a cooperativas, que são responsáveis por gerar cerca de 398 mil empregos formais

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) chegou ao Brasil e o cenário que já não era dos melhores, piorou. O número de trabalhadores e trabalhadoras desempregados ou na informalidade deu um salto. Dados mais recentes do IBGE mostram que 12,7 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil, isto é 12,9% da população. Em três meses o país perdeu 7,8 milhões de postos de trabalho e desses postos a menos, 5,8 milhões eram informais. A informalidade é opção para 36,8 milhões de brasileiros, ou seja, 39,9% dos trabalhadores e trabalhadoras. Somados, os desempregados e os informais representam mais da metade das pessoas ocupadas no país e isso representa um universo de quase 50 milhões de pessoas. O IBGE ainda mostra que, pela primeira vez, menos da metade da população em idade de trabalhar está ocupada. 

Frente a este cenário, no mês em que celebramos o Dia Internacional do Cooperativismo, quero chamar a atenção para o potencial que o cooperativismo com viés econômico solidário tem para a superação de crises e para a geração de trabalho e renda. Para um país que vem sofrendo constantes quedas econômicas e consequentes violações de direitos, em especial, os trabalhistas, e o agravamento das crises sociais e econômicas como a que vivemos, pensar em estratégias que mudem este cenário é fundamental para que revertamos a situação e alcancemos o desenvolvimento sustentável.

Segundo dados da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), no mundo existem mais de três milhões de cooperativas, que  contribuem significamente com o crescimento econômico, com geração de empregos estáveis e de qualidade. São mais de 280 milhões de pessoas em todo o planeta trabalhando em cooperativas, o que representa 10% da população empregada. Além disso, as 300 maiores cooperativas do mundo geram US$ 2,1 bilhões.

Mais de 280 milhões de pessoas em todo o mundo trabalham em cooperativas. Isso representa 10% da população empregada (Nappy)

Segundo a ONU, o cooperativismo ajuda na construção de economias e sociedades inclusivas e podem contribuir para a eliminação da pobreza, pois “permite às pessoas criarem suas próprias oportunidades econômicas por meio da força coletiva”.  Conforme a Organização Internacional do Trabalho (OIT), no mundo as organizações cooperativistas empregam diretamente mais de 100 milhões de pessoas e contam com um bilhão de membros. No Brasil o número de cooperativas e de associados é um dos menores do mundo. 

No Brasil, somente no ramo agropecuário, quase 580 mil estabelecimentos estão associados a cooperativas (11,4%); 5,9% das pessoas ocupadas estão em cooperativas, conforme o IBGE. Segundo a Agenda Institucional do Cooperativismo 2019, mais de 14,2 milhões pessoas estão associadas a cooperativas, que são responsáveis por gerar cerca de 398 mil empregos formais. 

Mas quando falamos em cooperativismo com viés econômico solidário vamos além. Isso porque no campo da economia solidária existem, aproximadamente, 20 mil empreendimentos que reúnem mais de 1,4 milhão de associados, como mostra o Sistema de Informação da Economia Solidária (Sies). 

No Brasil, somente no ramo agropecuário, quase 580 mil estabelecimentos estão associados a cooperativas (Freepik)

Esses números podem ser ainda maiores. Isso porque o cooperativismo é uma das formas associativas de organização do trabalho que também pode ser encontrado em associações produtivas e empresas de autogestão, por exemplo. As estatísticas oficiais disponíveis no Brasil ainda não contemplam a totalidade desse campo produtivo. No entanto, o compilado mostra que o cooperativismo e a economia solidária são estratégias capazes de promover a retomada do crescimento e o desenvolvimento do Brasil. São ferramentas que possibilitam a criação de trabalho digno e decente, com inclusão e justiça social, gerando trabalho e renda, principalmente às populações mais vulneráveis. 

Por isso, a Unicopas, que congrega as quatro principais centrais do cooperativismo e da economia solidária do Brasil – Unicafes Nacional, Unisol Brasil, Concrab e Unicatadores – trabalha em defesa desses setores. Nós acreditamos que a transformação e a justiça social só serão possíveis quando o país investir efetivamente em políticas públicas que promovam e beneficiem o cooperativismo com viés econômico solidário. Só assim, teremos trabalhadores e trabalhadoras, em especial os mais vulneráveis, entre eles mulheres e juventudes, fortalecidos e contribuindo ativamente para o crescimento social e econômico do nosso país. 

Arildo Mota Lopes é presidente de Unicopas (União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias)

Saiba mais sobre esta campanha

No Dia do Cooperativismo, Unicopas lança campanha para fortalecer a geração de trabalho e renda no Brasil
Objetivo é fomentar o cooperativismo e a economia solidária enquanto instrumentos para a geração de trabalho e renda, em especial, em tempos de crise, como a que vivemos com a pandemia do novo coronavírus. Com foco no ambiente digital, campanha busca sensibilizar sociedade para o potencial do cooperativismo solidário.read more ❯
Cooperativismo transforma a vida de famílias agricultoras no sudoeste do Paraná
Conheça a história de famílias que encontraram no cooperativismo e na economia solidária alternativas para melhorar a produção e a renda com o trabalho no campo A agroindústria da família Hagemann nasceu na varanda de casa. As primeiras fornadas de pão, cuca e bolacha saíram com apoio de toda família. A produção ficava por conta de Rosane e das filhas Adrieli e Paula. Na época,...read more ❯
Após 30 anos costurando, artesã retoma sonho por meio do cooperativismo solidário
Aos 66 anos, dona Lídia Ribeiro de Andrade hoje se diz realizada. Ela, que desde criança descobriu o dom para o artesanato, lembra que já por volta dos 10 anos de idade, quando ia para a roça com a mãe no interior do Piauí, não podia ver um tronco no meio do caminho que já o transformava em arte. O bordado típico da região feito pelas tias e avó também ganhou o coração da garota...read more ❯
Conheça a cooperativa que pode beneficiar uma tonelada de mel por dia no sertão do CE
O Financiamento Popular (Finapop) possibilitará a ampliação da capacidade de produção para 6 toneladas de mel por diaread more ❯
Como cooperativas da agricultura familiar conseguem manter a produção ativa durante a pandemia?
A experiência vem do Rio Grande do Norte. Com a chegada da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil, muitos agricultores e agricultoras familiares que escoavam a produção basicamente em feiras e acessando políticas públicas, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa Nacional de Aquisição de Alimentos (PAA), viram, da noite para o dia, a realidade mudar...read more ❯
Em tempos de pandemia, solidariedade fortalece o trabalho de profissionais da catação
Milhares de catadoras e catadores de materiais recicláveis recebem cestas básicas e itens de higiene em todo o Brasil; objetivo é manter o trabalho da reciclagem protegido e com sustentabilidaderead more ❯
Cooperativas da Reforma Agrária garantem estruturas coletivas para ações solidárias
Logística, transporte e beneficiamento são alguns dos importantes papéis das cooperativas nas doações de alimentos feitas por famílias Sem Terra durante a pandemia. Fruto do trabalho cooperativo e solidário no campo que garante alimento de qualidade para as famílias mais vulneráveis. Conheça a experiência da Concrab, central afiliada à Unicopasread more ❯
Unicopas debate: Cooperativismo solidário é um dos caminhos para mais acesso à trabalho e renda
Frente ao agravamento das crises políticas e econômicas causadas pela pandemia no novo coronavírus (Covid-19), Unicopas chama a atenção para o cooperativismo e a economia solidária enquanto estratégias para a retomada do crescimento do Brasil a partir da geração de trabalho e renda, principalmente às populações mais vulneráveisread more ❯

Outras Campanhas

Cooperativismo Solidário e os ODS

Cooperativismo e Economia Solidária como estratégias no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Desenvolvimento e Sustentabilidade

Cooperativismo e Economia Solidária na promoção do desenvolvimento sustentável

Ações que transformam

Experiências mostram potencial do cooperativismo solidário na vida das mulheres